quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Papai é o maior e sempre será

Querido pai,
Com 38 anos de atraso, eu venho em público te agradecer por tudo o que você fez por mim até aqui.
Obrigado por nunca ter me abandonado, física e espiritualmente, durante todo este tempo.
Obrigado por nunca ter deixado que faltasse alguma coisa, qualquer que fosse, na minha vida e na de meus irmãos.
Obrigado por ter me ensinado tanto sobre ética, honestidade e trabalho. E se eu não aprendi tudo, não se lamente. A culpa não foi do professor e sim, do aluno.
Obrigado pela sua história de vida, rica em superação, determinação e humildade.
Obrigado por ser ainda hoje a mão que me levanta das quedas e o abraço que me conforta nas vitórias.
Obrigado por ser o melhor avô que a Maria Clara poderia ter e o melhor pai com o qual eu poderia sonhar.
Mas acima de tudo, obrigado por ter me feito colorado, vermelho, encarnado, do clube do povo.
Por ter me levado, lá em 1978, ao meu primeiro jogo, contra o Colorado do Paraná - 1 a 0 para o Inter, gol de cabeça de Caçapava, e definitivamente me mostrado o caminho da felicidade.
Obrigado por ter sido sempre o companheiro fiel da minha infância quando ouvíamos os jogos fora do Beira-Rio, pelo radinho da sala.
Obrigado por ter me apresentado a Figueroa, Falcão, Carpegiani, Waldomiro, Príncipe Jajá, Benitez e tantos outros primeiros ídolos daquela paixão que virou amor em tão pouco tempo.
Obrigado por ter me dado o orgulho de vestir uma camisa encarnada cheia de conquistas, títulos e respeito. Quanto às derrotas, inevitáveis em uma história de mais de 100 anos, eu lembro do clichê tão usado pelos pais para entender que, sim, doeram muito mais em você do que em mim. Embora não seja a mais pura verdade, né?
Hoje começa tudo de novo, pai. E eu espero que lá no fim, assim que o juiz apitar o final da última partida, eu possa manter a rotina dos últimos anos: te ligar de onde quer que eu esteja, rouco e feliz, só pra te cumprimentar por mais um título. E te agradecer, do fundo do meu coração absolutamente vermelho, por ser teu filho. Teu filho colorado.

*Este texto é uma singela homenagem a todos os pais colorados como o meu. Se o seu pai é um deles, lhe dê um abraço e agradeça. Se não fosse ele, você poderia estar completando em 2011 uma década sem ganhar porra nenhuma.   

3 comentários:

  1. Foda Solettão!!!! Mandou bem demais!!!! Abração!!!

    ResponderExcluir
  2. Emocionante. Lindo texto e homenagem. ;) Marie

    ResponderExcluir
  3. Meu pai é torcedor do Bahia. O que resta para mim, Soletti?

    ResponderExcluir